quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Representações Cotidianas: teoria e pesquisa



Sinopse
Representações Cotidianas: teoria e pesquisa é uma coletânea de estudos sobre a teoria e a pesquisa das representações cotidianas organizada por Edmilson Marques. O livro busca avançar para além da ideologia do senso comum e das representações sociais. Encontramos aqui respostas apresentadas por Edmilson Marques sobre o que são as representações cotidianas e a sua sistematização teórica. Maria Angélica Peixoto aborda a ideologia das representações sociais e a teoria das representações cotidianas. Nildo Viana analisa: 1. A distinção entre convicção e opinião; 2. “Aquilo que Marx denominou de 'representações ilusórias' da realidade”, observando as relações entre duas formas elementares de ilusões, o imaginário e a ideologia, e o processo em que uma transforma-se na outra. Cassia Soares, Heitor Pasquim, Luciana Cordeiro e Sheila Lachtim propõem “a construção participativa de material instrucional para jogo educativo e as principais representações cotidianas expostas e transformadas durante a construção do material”, com atenção para as representações cotidianas sobre drogas. Alessandra Cofani, Celia Campos e Heitor Pasquim analisam a concepção de juventude de indivíduos de classes ou frações de classes distintas, enfatizando o consumo de álcool por jovens de diferentes grupos sociais. A coletânea é concluída com um estudo de Cassia Soares, Elda de Oliveira, Leandro Batista e Marco Separavich sobre as representações cotidianas produzidas por “jovens do ensino médio de uma escola pública, no bairro de Guaianazes na periferia de São Paulo”, sobre a “periferia, a mídia, a juventude, os rolezinhos, a juventude e o consumo de drogas”.
Detalhes do produto
Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2347-9
DOI: 10.24824/978854442347.9
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 122
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Clique aqui para ter acesso ao sumário.

Autores
EDMILSON MARQUES
Graduado em História e especialista em Ciência Política pela Universidade Estadual de Goiás, mestre em História pela Universidade Federal de Goiás e doutor em História pela Universidade Federal de Goiás. Realizou o estágio de doutorado em 2011 na Universidade de Valência/Espanha, e o pós-doutorado em 2015 pelo programa de sociologia da Universidade Federal de Goiás com uma pesquisa sobre o rádio em Goiás no período do Regime Militar, tomando como referencial teórico-metodológico a teoria das representações cotidianas. Atualmente atua como professor efetivo da Universidade Estadual de Goiás, câmpus de Uruaçu. Integra o corpo docente do mestrado em Ciências da Religião da PUC, oferecido pela FASEM, em Uruaçu-Goiás. É autor do livro Estado, Luta de Classes e Autogestão Social e Histórias em Quadrinhos: valores e luta cultural.
ALESSANDRA COFANI
Enfermeira, mestre em Cuidado em Saúde pelo Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. 
CASSIA BALDINI SOARES
Enfermeira, Mestre em Saúde Pública e Doutora em Educação. Professora Associada do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva, da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. É líder do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para a intervenção em saúde coletiva”, bolsista produtividade em pesquisa e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária em Saúde no Sistema Único de Saúde. Pesquisa o tema da juventude na atualidade, especialmente no que se refere ao consumo de drogas, buscando aprimorar conhecimentos relativos à educação nessa área. Vem se dedicando também ao tema da formação e do trabalho em enfermagem e em saúde coletiva. Participa do grupo de metodologia de revisão de escopo, do Instituto Joanna Briggs. Tem sido um desafio desenvolver a pesquisa-ação emancipatória, metodologia potente para compreender necessidades em saúde e para arquitetar e implementar projetos e práticas políticas em saúde. 
CELIA MARIA SIVALLI CAMPOS
Bacharelado em enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas, especialização em enfermagem em saúde mental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP (EERP), mestrado em Enfermagem em Saúde Coletiva pela Escola de Enfermagem da USP (EE) e doutorado em Enfermagem pelo Programa Interunidades (EE/EERP). Professora Associada no Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da EEUSP, vice coordenadora do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”áreas de interesse de atividades de ensino, pesquisa e extensão: necessidades em saúde e juventude. 
ELDA DE OLIVEIRA
Enfermeira – doutora em Ciências Universidade de São Paulo – USP; faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Tem experiência na área de Enfermagem em saúde coletiva com ênfase em saúde mental, educação e comunicação social, consumo de drogas. 
HEITOR MARTINS PASQUIM
Professor de educação física, mestre e doutor em ciências pela Universidade de São Paulo – USP. Membro do conselho editorial da revista Corpus et Scientia. Membro do comitê científico do grupo de trabalho temático “Atividade física e saúde” do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte – CBCE. Professor da Faculdade de Educação Física e Dança da Universidade Federal de Goiás – UFG. Faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Pesquisa o tema do lazer no campo da saúde, principalmente na área de saúde mental, drogas e juventude. 
LEANDRO LEONARDO BATISTA
É Professor Doutor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, no Departamento de Publicidade, Propaganda e Relações Públicas desde 1997. Recebeu os títulos de Mestre e Doutor da University of North Carolina em Chapel Hill, North Carolina, EUA em 1990 e 1996, respectivamente. Professor Leandro tem trabalhos apresentados em conferências de porte internacional nos Estados Unidos e Europa, bem como publicações em estudos de políticas públicas e efeitos da mídia. Suas principais áreas de interesse são teoria e métodos de pesquisa em comunicação, processos de decisão, percepção de riscos, comunicação de riscos e neurociência aplicada à propaganda. Atualmente coordena o grupo de pesquisa e laboratório 4C: Centro de Ciências Cognitvas e Comunicação, onde são desenvolvidas pesquisas experimentais com base na relação entre psicologia cognitiva e comunicações com uso de medidores fisológicos como rastreador de olhos e medidas galvânicas da pele. 
LUCIANA CORDEIRO
Terapeuta ocupacional, mestre e doutora em Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Tem experiência com o desenvolvimento de pesquisa-ação com trabalhadores da saúde e com docência na graduação e pós graduação. Atuou na clínica de saúde mental como terapeuta ocupacional e como supervisora de equipe de CAPS. 
MARCO ANTÔNIO SEPARAVICH
Sociólogo, Mestre e Doutor em Saúde Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é pós-doutorando em Saúde Coletiva, Departamento de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo. Atua na Saúde Coletiva, na área de Ciências Sociais e Saúde, com experiência em investigações na interface de Comunicação e saúde, Ciências Sociais e adoecimentos crônicos, Políticas Públicas de Saúde e gênero. 
MARIA ANGÉLICA PEIXOTO
Professora do Instituto Federal de Goiás. Doutora em Sociologia pela UFG e pesquisadora dos seguintes temas: representações cotidianas, drogas e violência, violência contra a mulher, tráfico internacional de mulheres, entre outros. 
NILDO VIANA
Professor da Faculdade de Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Goiás; Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília e Pós-Doutor pela Universidade de São Paulo; 
SHEILA APARECIDA FERREIRA LACHTIM
Enfermeira, mestre e doutora em ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo – USP. Faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Pesquisa o tema do lazer no campo da saúde, principalmente na área de saúde mental, drogas e juventude.


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Booktrailer do livro "Karl Marx: A Crítica Desapiedada do Existente".





Booktrailer do livro "Karl Marx: A Crítica Desapiedada do Existente". Autor: Nildo Viana Dados: VIANA, Nildo. Karl Marx: A Crítica Desapiedada do Existente. Curitiba: Prismas, 2017.

Mais informações: http://informecritica.blogspot.com.br... Breve apresentação:
Karl Marx foi o autor mais deformado da história do pensamento ocidental. Até mesmo seus seguidores, autointitulados “marxistas” deformaram o seu pensamento. A presente obra vem para resgatar o verdadeiro caráter da teoria de Karl Marx, mostrando como esse autor é distinto das interpretações dominantes. O autor revela a preocupação fundamental que é o ponto de partida de Marx, o seu humanismo, fundado numa teoria da natureza humana e da alienação, promovendo a necessidade de libertação humana. Marx constitui uma dialética materialista e uma teoria da história – materialismo histórico – como sua base teórico-metodológica que lhe permite desenvolver uma consciência antecipadora, ao perceber que a libertação humana ocorre via revolução proletária, instaurando o comunismo, o “autogoverno dos produtores”. O autor mostra, ainda, como Marx foi o primeiro crítico do pseudomarxismo, ou seja, as deformações do seu pensamento a partir dos seus supostos “seguidores”.
Texto da contracapa do livro: Contracapa::
Assim, o livro apresenta as ideias básicas de Marx, partindo de sua concepção de natureza humana e alienação, modo de produção e luta de classes (materialismo histórico), método dialético e ideologia, teoria do capitalismo e teoria da revolução e do comunismo. Num último capítulo, um balanço da contribuição e da herança de Marx, mostrando o que há de atual em sua concepção, como sua teoria foi simplificada e deformada, como ela contribui para compreender a realidade contemporânea.
O livro "Karl Marx: A Crítica Desapiedada do Existente" é, simultaneamente, uma obra introdutória e profunda. O seu objetivo é apresentar as ideias de Marx e promover uma leitura rigorosa, que dê contra de explicitar os pontos essenciais do pensamento do autor da forma mais clara e objetiva possível. Nesse sentido, a forma de exposição não é a mais utilizada para analisar o seu pensamento (o que também ocorre no caso de outros autores), que é expor seu pensamento de forma cronológica. A forma cronológica é interessante para mostrar as mudanças e alterações, porém, perde no sentido lógico e na coerência e ordem do pensamento do autor. Por isso, nossa exposição é por temas e através de um desenvolvimento lógico e não cronológico, mostrando as bases do pensamento do autor e seus desdobramentos. Porém, para não se perder a historicidade de seu pensamento do autor e mudanças, cada capítulo aponta as primeiras formulações e sua mutação até as últimas, para explicitar tal processo.
Curta a página no facebook e veja as novidades e textos relacionados:

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Livro analisa relação entre indústria cultural e religião



VIANA, Nildo (org.). Religião e Capital Comunicacional. Rio de Janeiro: Ar Editora, 2015.


O livro organizado por Nildo Viana e que conta com artigos de André de Melo Santos, Erisvaldo Pereira de Souza, Maria Angélica Peixoto e Veralúcia Pinheiro, com prefácio de Flávio Sofiatti, aborda a relação entre religião e capital comunicacional. Abaixo o texto da contracapa dessa obra e o sumário da obra.

A igreja e a religião foram, no passado, tal como na sociedade feudal, as grandes influências das representações e formas de consciência da população. Na sociedade moderna, ela perde parte de sua influência e novas formas de pensamento e reprodução do mesmo ganham espaço, tais como a ciência, a escola e o capital comunicacional. O capital comunicacional (“indústria cultural”), por sua vez, emerge na sociedade capitalista e passa a ser uma das maiores forças de formação de opinião e consciência. Ao lado disso, as relações sociais na sociedade moderna são marcadas pela mercantilização, na qual tudo vai se transformando em mercadoria ou assumindo a forma de mercadoria. O próprio capital comunicacional é expressão da mercantilização da comunicação e dos meios tecnológicos de comunicação. A religião não fica imune a esse processo.

Nesse contexto, a mutação da religião e de algumas igrejas se torna visível. O seu vínculo com a mercantilização se torna cada vez mais explícito e o uso do capital comunicacional é uma das formas de aliar a antiga influência com sua forma mais contemporânea. O vínculo da religião e o capital comunicacional se torna um dos fenômenos sociais mais importantes na sociedade moderna, especialmente na sociedade brasileira. O presente livro ganha importância nesse contexto, ao abordar essas “ligações perigosas”, pois revela um processo de mercantilização da religião. A relação entre capital comunicacional e religião é analisada sob vários aspectos, abordando a questão da mercantilização, do capital comunicacional, da mutação religiosa, bem como de casos específicos, tal como o uso de determinadas igrejas pelo capital comunicacional. Logo, a temática desse livro se torna fundamental para compreender a dinâmica religiosa contemporânea e sua relação com o capital comunicacional.


SUMÁRIO




Prefácio
Flávio Sofiatti

Introdução
Nildo Viana

Religião, Mercantilização, Fetichismo e Capital Comunicacional
Nildo Viana

Capital Comunicacional e Mutações Religiosas Durante o Regime de Acumulação Integral
André de Melo Santos

Capital Comunicacional e Ação Religiosa
Erisvaldo Pereira de Souza

Igreja Universal e Uso do Capital Comunicacional
Maria Angélica Peixoto

Mercado Religioso, Capital Comunicacional e Violência na Sociedade Contemporânea
Veralúcia Pinheiro


Sobre os autores



terça-feira, 21 de julho de 2015

Livro discute a pesquisa em Representações Cotidianas


Acaba de ser publicado o livro, A Pesquisa em Representações Cotidianas.
VIANA, Nildo. A Pesquisa em Representações Cotidianas. Lisboa: Chiado, 2015.

O presente livro é uma rara contribuição para a reflexão e prática da pesquisa com representações. Além de uma síntese da teoria das representações cotidianas, apresentando os principais conceitos e contribuições teóricas, apresenta de forma pormenorizada os elementos essenciais para a pesquisa desse fenômeno, também chamado de “senso comum” ou “representações sociais”, tanto aspectos metodológicos e analíticos quanto técnicos. Assim, uma discussão aprofundada sobre entrevistas em geral e uso da entrevista interpretativa, bem como de outras técnicas auxiliares, bem como reflexão aprofundada sobre o processo analítico das representações cotidianas, faz dessa obra instrumento indispensável para todos os pesquisadores da área da sociologia, psicologia, ciência política e das ciências humanas em geral.

Prefácio de Cássia Baldini Soares.


domingo, 18 de maio de 2014



Curso de Atualização:
Valores e Representações Cotidianas

 Folder do curso de atualização "valores e representações cotidianas"



 Mais informações, vide anexo abaixo. Programa-Curso-ValoresRepresentaçõesCotidianas  

domingo, 2 de fevereiro de 2014




Chamada de Artigos - número 01

A Revista Axionomia lança chamada para sua primeira edição. São aceitos, na seção artigos, textos sobre valores, seja em perspectiva teórica ou análises concretas, e na seção "outros temas", artigos sobre variados temas da área das ciências humanas. Além disso, na seção "resenhas" e "revisão", é possível publicar comentários sobre livros e sobre autores específicos.

A submissão de artigos deverá ocorrer via processo eletrônico, no portal de publicações do REDELP, onde se pode consultar as "diretrizes para autores" da Revista Axionomia, com as normas de publicação e o prazo para o primeiro número é até dia 01 de maio de 2014.

Seguidores